Por Janaína Almeida

O professor José Eduardo Borges Moreira (Zé Du), que ministra a disciplina de Artes no Colégio Técnico da UFMG (COLTEC), orientou as suas turmas de primeiro ano dos cursos integrados do COLTEC na produção de flipbooks. Essa técnica de animação consiste na produção de uma série de imagens organizadas sequencialmente em blocos ou cadernos.  O objetivo é que o resultado simule o movimento quando as páginas são viradas rapidamente. Essa foi a forma escolhida pelo professor para desenvolver entre os seus alunos habilidades como concentração, poder de síntese e compreensão da capacidade comunicativa das imagens.

  

“Além de desenvolver a questão da criatividade, a ideia é que os alunos, mesmo com um flipbook pequeno, tivessem uma história contada nesse tempo. A maioria conseguiu isso e construiu uma história com início, meio e fim. Os alunos trabalham muito mais com texto escrito do que com desenho e imagem, então essa é a oportunidade de praticarem uma outra forma de contar uma história. Isso também abre a possibilidade de interesse por animação, filmes, e cinema em geral. Então, é uma atividade que traz vários benefícios”, comentou Zé Du.

   

Aryenne Gonçalvez Rocha, aluna da turma de Desenvolvimento de Sistemas, criou o flipbook “Ponto”. Segundo ela, a inspiração veio quando realizava pesquisa em seu computador e ficou sem internet. Com base no jogo que aparece no Google quando a rede cai, ela desenvolveu a sua história.

Já Luiz Felipe Coutinho Bouchardet Santanna, aluno do curso de Desenvolvimento de Sistemas, contou que estava jogando quando teve a ideia que norteou seu flipbook. Segundo ele, a intenção era criar uma história que passasse do virtual para realidade. Luiz Felipe nomeou seu trabalho como “choque de realidade”.

A aluna Debora Medeiros Batista, do curso de Automação, criou o flipbook “Adalberto, o Dinossauro”. Debora comentou que já costumava desenhar esse personagem em suas provas e trabalhos e que o considera uma espécie de mascote. A aluna ressaltou ainda que quando o professor Zé Du propôs o trabalho achou que seria bem difícil e cansativo, mas que se surpreendeu, pois achou a experiência muito interessante e divertida.

O professor José Eduardo destacou ainda que, além do flipbook, os alunos vão fazer um “stop motion”, que é um vídeo de animação produzido em fotografia, quadro a quadro, e que para eles entenderem o processo de animação, o flipbook funciona como um aprendizado.  “Os alunos conseguem perceber como os objetos tornam-se animados a partir de uma sequência e aí partindo do flip book para, posteriormente, ir para o vídeo de animação é mais fácil, porque eles já têm o conhecimento desse processo de produção”.

Veja outros exemplos de flipbooks feitos pelos nossos alunos: