Por Janaína Almeida

O Colégio Técnico da UFMG (COLTEC), há muito, tem buscado incentivar seus alunos a participarem de atividades extraclasse, como forma de aprimorar seus conhecimentos e desenvolver outras habilidades. Ex-aluno do COLTEC, o professor Carlos Eduardo Porto Villani, do Setor de Física, é um entusiasta e um grande incentivador da participação de alunos em eventos como olimpíadas de conhecimento.

Foto: Zé Du

“Em geral, nossos alunos sempre participam e ganham prêmios. No caso da Física, ano passado tivemos alunos participando das Olimpíadas de Astronomia, onde ganharam 6 medalhas. Nós já tivemos também, por duas vezes, alunos que foram selecionados para a segunda fase, que é uma fase internacional das Olimpíadas”.

A participação dos alunos do COLTEC nas Olimpíadas de Astronomia acontece há algum tempo, “desde 2010, quando eu entrei [como docente efetivo], os alunos vêm participando sempre”, comenta Villani. Já nas Olimpíadas de 2010 o desempenho dos alunos se mostrou satisfatório e houve conquista de diversas medalhas. “Esse evento é o que eu mais gosto, porque leva desde os pequenininhos, o aluno com 7 anos já pode participar, até o do terceiro ano do ensino médio. Então tem vários níveis e dá para trabalhar os conteúdos de várias maneiras interessantes”, completa o professor.

Carlos Villani destacou o entusiasmo dos alunos com as olimpíadas. Segundo ele, os estudantes entendem que isso melhora seus currículos, pela possibilidade que eles têm de ampliar o conhecimento na área, por meio da experiência e do contato com alunos de diversos lugares. “E isso que é o bacana dos alunos, ao mesmo tempo que eles vão aprendendo, eles vão passando isso para os outros alunos e com isso o conhecimento vai se multiplicando”.

O professor comentou ainda que o interesse dos alunos pela área da Astronomia é muito grande: “Ano passado eles se organizaram em um Clube de Astronomia e me chamaram para falar. Fui avisado que seria no auditório e quando cheguei fiquei surpreso porque tinha mais de 90 alunos, o lugar estava lotado”. Essa grande demanda vem sendo o motivador para novos projetos. “Eu estou me dedicando a preparar uma sistematização para essas Olimpíadas, fazendo pequenos projetos de extensão para que a gente possa tirar a Astronomia exclusivamente do ambiente só do Colégio. Esse é um projeto que pretendo investir a longo prazo”.