A história do Coltec

Histórico

O COLTEC foi criado em 1969, a partir de convênio celebrado entre o Conselho Britânico, a UFMG, o CNPq e o MEC, com a finalidade de atender à demanda de formação de profissionais técnicos de nível médio nas áreas de Patologia Clínica, Instrumentação, Eletrônica e Química.

 

Colégio Técnico em construção

 

Em 1981, o Conselho Universitário da UFMG estabeleceu, por meio da resolução 25/81 de 06 de novembro daquele ano, as diretrizes para o Centro Pedagógico, Unidade Especial formada pela Escola Fundamental e COLTEC, vinculado à FaE. Essas diretrizes gerais definiram a nova unidade como um espaço de experimentação pedagógica e curricular.

Até 1997, o Colégio Técnico ofereceu quatro cursos técnicos de nível médio na modalidade integrado, nos quais os alunos estudavam em horário integral. Em conformidade com o Art. 2º da Portaria no 646, de 14 de maio de 1997, a escola passou a oferecer Ensino Profissional, de nível técnico, concomitante ao Ensino Médio.

A implementação dessa reforma deu-se de forma gradual em virtude da cristalização sócio-histórica do tradicional modelo de ensino técnico do COLTEC, da dificuldade de operacionalização dos novos ordenamentos do ensino e da discussão, que persistiu até o final de 2000, sobre a inserção das escolas de Educação Básica e Profissional na estrutura universitária.

Até 2008 o COLTEC possuía 4 cursos técnicos, com ensino médio concomitante. No final do ano de 2008 foi aprovado o curso técnico de Informática, que começou a vigorar a partir do ano letivo de 2009. Nesse mesmo ano, graças a algumas alterações em alguns cursos, as vagas para os cursos técnicos passaram de um total de 136 para 176.

Com a aprovação da resolução nº 05 de 03 de maio de 2007 foi criada a Unidade Especial denominada Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG, o Colégio Técnico compõe um do três centros de ensino da nova unidade, são elas: Centro Pedagógico (responsável pelo Ensino Fundamental); Teatro Universitário (responsável pelo ensino técnico de formação de atores) e o COLTEC (responsável pelo ensino técnico de nível médio). Atualmente o COLTEC está investindo na criação de novos cursos técnicos e continua atuando na área de formação de recursos humanos para a educação, sendo um campo para estágio curricular de alunos de cursos de graduação. Vários de seus docentes participaram, nos últimos anos, de iniciativas de renovação curricular para os ensinos fundamental e médio em colaboração com a Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais - SEEMG.

Junto ao Centro de Ensino de Ciências e Matemática de Minas Gerais - CECIMIG e Faculdade de Educação da UFMG, o COLTEC executa, desde 1991, o Programa de Pós-graduação - Especialização - em Ensino de Ciências nas modalidades Ciências, Física, Química e Biologia. No COLTEC são desenvolvidos também vários projetos e cursos de extensão, dentre os quais se destacam: projetos com as comunidades de Caparaó, Alto Caparaó, Morro Alto e São Bartolomeu que vêem contribuindo significativamente para o desenvolvimento das referidas comunidades e para a formação de estudantes de diferentes níveis de ensino; e o projeto de Ensino Médio para Jovens e Adultos que completou, em 2008, dez anos de funcionamento com uma proposta pedagógica construída especificamente para esse publico. Além desses projetos, têm sido ofertados cursos de qualificação profissional para Jovens e Adultos para reinclusão social (ex-detentos) e para pessoas com necessidades especiais (Síndrome de Down) em parceria com instituições tais como a Prefeitura de Belo Horizonte e a Funabem. O Colégio também oferece periodicamente cursos de extensão (curta duração) nas áreas de Informática, Língua Estrangeira, Música, Dança, Esportes e Tecnologia de materiais.

 Placa da Entrada do COLTEC

 

Objetivos do Colégio Técnico

O COLTEC, desde a sua criação, tem o propósito de ser referência para as demais escolas do país. Sua influência tem sido justificada em função de sua organização, da crescente qualificação de seu pessoal docente e técnico, da infra-estrutura dos seus laboratórios e, principalmente, em função do seu projeto educativo, que possibilita a formação do estudante de nível médio e técnico com uma significativa base científica, experimental e humanística e um contato permanente com instrumentos e técnicas atualizadas.

 

Atualmente, o Colégio Técnico vem mantendo a sua proeminência histórica no cenário educacional com a adoção de uma metodologia de trabalho solidária com as necessidades da formação do aluno para o desenvolvimento de seu potencial, para a realização de seu projeto de vida e para a atuação competente no campo do trabalho. Sua proposta político-pedagógica tem como objetivos principais:

 

Formar profissionais técnicos de nível médio com possibilidade de exercerem sua profissão de forma destacada;

 

Possibilitar ações interativas com as Unidades Acadêmicas da UFMG, responsáveis pela formação do professor da Educação Básica, no desenvolvimento de projetos pedagógicos inovadores, na realização de diagnósticos das práticas docentes e na identificação de problemas e alternativas de solução, consolidando a estreita relação ensino/pesquisa/extensão na Educação Básica e Superior;

 

Expandir, progressivamente, a área de abrangência da educação profissional para consolidar-se como centro de referência em Educação Profissional de nível médio, priorizando práticas docentes que favoreçam o pleno desenvolvimento do aluno;

 

Garantir a continuidade do processo de democratização do ensino, resguardando a sistemática de ingresso de alunos provenientes dos diferentes estratos sociais e as condições favoráveis à sua permanência e seu sucesso na escola;

 

Fortalecer os vínculos de convivência com as famílias dos alunos e a sociedade, priorizando ações de caráter político, pedagógico e sócio-cultural que resultem em benefícios recíprocos;

 

Promover a difusão e a socialização dos conhecimentos gerados na instituição, com a publicação de obras, trabalhos, divulgação de material didático e a oferta de cursos para o aprimoramento da formação técnico-científico-pedagógica e atividades de extensão;

 

Manter um diálogo permanente com as Unidades Acadêmicas da UFMG, com outras instituições de ensino, pesquisa e extensão, com o Setor Produtivo, com órgãos governamentais e de fomento da pesquisa, buscando formas de colaboração e apoio, intercâmbio e comprometimento com o projeto político-pedagógico do Colégio;

 

Contribuir com os órgãos governamentais e a sociedade em geral nas ações reparadoras das dívidas sociais para com as camadas excluídas do processo educacional, oferecendo cursos e programas de Educação de Jovens e Adultos e outros de nível básico da Educação Profissional.

 

 

Sub-categorias